Foi desenvolvido para este evento um Kit que continha. Um crachá, um vale jantar e almoço, uma camiseta, uma caneca, os objetos contem imagens representando Fraiburgo.

Aconteceu entre os dias 28 e 29 de Julho/2018 o primeiro encontrão  da velha guarda Fraiburguense nas dependências do clube Flor de Maçã. Um grupo expressivo de amigos, denominado “Diz que é do Frai” resolveu colocar a “conversa em dia” depois de 30 anos ou mais de afastamento. Os participantes e organizadores querem manter o propósito de continuar promovendo o encontro entre amigos das décadas passadas, que nasceram, moraram ou passaram por Fraiburgo mas deixaram sua marca e levam a cidade no coração.

Neste primeiro encontro foi possível ouvir e conhecer muitas histórias da nossa cidade, contada pelos amigos que vieram matar a saudade. Entre elas podemos destacar a do Sr. Valmor Julio. Um Fraiburguense de coração nascido em 14/02/1956, na Lavoura perto do Município de Taió Santa Catarina, vindo para Fraiburgo aos 5 anos de idade residindo por dois anos em frente ao armazém do Rude, voltando para Pouso Redondo permanecendo mais dois anos lá retornando novamente à Fraiburgo porque diz que “O bom filho a casa torna”, permanecendo em Fraiburgo até 1973. Naquele momento indo residir em Curitiba pensando que estava indo para o céu quando na verdade o céu era Fraiburgo.

Valmor Julio – Diz que é do Frai

Este Troféu que vocês estão vendo na imagem abaixo, o Sr. Valmor ganhou no mês de outubro em 1972, agora com 46 anos e bem “guardadinho”, em um torneio de futebol de salão na casa Paroquial do centro que o Pe. Biaggio Simonetti  fez, igreja, cancha de bocha cancha de vôlei e futebol de salão. Daquela época Valmor tem muitas lembrança de que jogava para o infantil FAC Fraiburgo Futebol Club. Conta ele que, “Terminava os jogos, eu saía do FAC ganhava 7 bolas dos jogadores do FAC, concertava duas para eles e o resto sobrava para mim, concertar e jogar.

Eu formava um time para o domingo à tarde e íamos para luta, tempos bons. Lembro-me vagamente que o Davi hoje doutor Davi era o goleiro, eu e outros meninos da época que eu não recordo os nomes, minha mãe era quem fazia as camisetas do time nas cores, vermelha e azuis. Quero acreditar que o nome do nosso time era OS BRASINHAS, ocorre que neste dia chegamos à final, nosso OS BRASINHAS e o infando do FAC com o Eliseu Esquinato e outros que não lembro. O Técnico deles era um senhor de apelido (Bugio).

A premiação foi uma tacinha de primeiro lugar e um troféu com um homem chutando a bola, jamais visto por mim, achei tão lindo que entregamos o primeiro lugar para eles somente para ter nas mãos aquele objeto, hoje tão valioso para mim e que vocês estão vendo aqui nesta imagem. São muitas recordações sempre que posso volto a Fraiburgo visito meus amigos, meu irmão Ivo Venga, Edegar, os passarinhos, e sempre passo no cemitério para rever aqueles que tenho lembrança e saudade. Mais hoje quero encontrar muito mais, Fraiburgo foi a minha infância, minha adolescência, abraço a todos, saudade do Nono Vitor Pizzeta.

Quero aqui deixar minha homenagem aos heróis Rene Frei e Arnoldo Frey e suas esposas, que desbravaram a mata e construíram Fraiburgo, em homenagem a ele Rene Frei tenho um Galaxie Branco por um motivo único que ele comprou um no ano de 1967. Dias 28 e 29, estivemos juntos na confraternização dos amigos antigos, queira Deus que em 2019 estejamos unidos outra vez, um grande abraço. Finaliza Valmor Julio.

No primeiro dia do encontro (28/07), foi servido uma deliciosa sopa de agnoline tradicional e vegetariana, houve muita conversa muita animação, distribuição de brindes e descontração que foi embalada ao som do cantor também filho da terra da maça, Jonerval de Oliveira. Durante toda a noite foi servido bebidas, sucos, cucas e pastel. Já no dia 29 as atividades iniciaram cedo, com uma caminhada “RECONHECENDO FRAIBURGO” passando pelas principais ruas da cidade onde os visitantes emocionavam-se ao recordar dos antigos lugares onde moravam. Rindo e contando muitas passagens alguma até engraçadas.  O passeio foi guiado por Ana Maria Camilo e terminou com a famosa e não menos importante, caminhada em volta do Lago das Araucárias, incluindo uma visita a Casa da Cultura, outrora, moradia da Família Fray e voltando ao Clube Flor de Maçã para o almoço com churrasco, pão, maionese e salada em seguida deu-se o encerramento do primeiro encontro do movimento “DIZ QUE É DO FRAI”.

Foi desenvolvido para este evento um Kit que continha. Um crachá, um vale jantar e almoço, uma camiseta, uma caneca, os objetos contem imagens representando Fraiburgo

Parabéns aos organizadores e obrigado aos participantes que nos trouxeram muitas histórias do velho e bom Frai para o povo do novo Frai.

Texto adaptação e Fotos: Jerusa Moreira | Jornalista